jusbrasil.com.br
19 de Outubro de 2018
    Adicione tópicos

    Augusto Ferraz denuncia falta de escolas para indígenas

    Em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nesta quarta-feira (16), o deputado Augusto Ferraz (DEM) denunciou as dificuldades enfrentadas pelos indígenas do Alto Rio Negro, em Manaus, principalmente a falta de escolas para atender a demanda das famílias que vivem na Comunidade Terra Preta, situada às margens do Rio Cuieiras.

    Segundo o parlamentar, há seis anos a Prefeitura de Manaus iniciou a construção de duas escolas voltadas para atender os alunos indígenas e até hoje não concluiu a obra. Com isso, esses estudantes são obrigados a estudar em outras comunidades distantes enfrentando uma série de dificuldades, como banzeiros e temporais. “Que o prefeito Artur Neto entregue essas escolas prontas para amenizar as dificuldades dessas famílias”, disse.

    Ausência

    Outro tema tratado pelo deputado diz respeito a um comentário feito por um jornalista de uma emissora de televisão local de que Augusto Ferraz seria um deputado faltoso na Aleam. “Quero dizer a esse jornalista que não estou brincando com recursos governamentais ou tirando proveito do Estado para me promover”, mencionou.

    Ao invés de acusá-lo de faltoso, Ferraz aconselhou o jornalista a denunciar em seu programa o sumiço dos R$ 36 milhões que foram para Benjamin Constant (a 1.121 km de Manaus) para fazer a malha viária, cuja obra não saiu, bem como, o sumiço de R$ 22 milhões para construir uma ponte em Tefé (a 523 quilômetros de Manaus), o que não aconteceu.

    “Colocaram apenas seis ferros lá e não deram continuidade à obra”, disse o deputado, ressaltando ainda uma série de falcatruas que identificou e que irão fazer parte de um dossiê que está levantando no Estado. “É lamentável a falta de investimento governamental no interior amazonense, cuja população vive a duras penas pela falta de sustentabilidade social”, completou.

    Profissionalização

    Augusto Ferraz destacou um trabalho realizado para profissionalizar jovens no Centro Salesiano de Manicoré (a 332 km de Manaus). O deputado informou que os jovens estão aprendendo a fazer estofamento, grades e portões que estão sendo exportados para outras cidades amazonenses. “Iniciativas dessa natureza são importantes para gerar emprego e renda aos jovens”, sintetizou.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)